sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Pedras Altas: o que a Escola Leonel de Moura Brisola tem pra comemorar?


Acabei de ver no Facebook que a Escola LMB está comemorando 10 anos do início de suas atividades. Logo que vi o anúncio, me perguntei exatamente isso: o que há para comemorar? Bom, primeiro, preciso dizer que o fato de existir algo que se comemore nesta escola é de interesse meu porque sou professor e, além de tudo, sou pedrasaltense com todo orgulho.

São 10 anos anos da escola, não sei precisar quantos alunos já concluíram seu ensino médio nela, mas posso dizer, com certeza, que concluíram seus estudos a um alto custo, ao custo do DESCASO. A escola está largada ao próprio destino, ao destino de políticos cujos conchavos não permitem que enxergue o problema estrutural desta escola. É sabido que a abertura provisória da LMB nas dependência da Escola Assis Brasil era como a palavra por si só diz: PROVISÓRIA. Entretanto, como tudo, esta palavra foi ressignificada para PERMANENTE, o que é possível comprovar com nos 10 anos que se passaram.

Estive há pouco na LMB e pude presenciar uma parcela pequena do cotidiano aterrorizante instaurado na escola. Tudo isso pela falta de estrutura. A LMB nada mais é que um parasita da Escola Assis Brasil, mas um parasita que não se beneficia em quase nada do seu hospedeiro. Fiquei algumas horas lá dentro, e esse tempo foi suficiente para ver que a secretaria é, ao mesmo tempo, biblioteca, sala dos professores, direção, coordenação pedagógica. É um caos num cubículo. O que eu fico pensando é como esses alunos conseguem ter uma educação de qualidade em uma escola em que falta quase tudo?

A falta de estrutura é apenas parte do problema, mas sem isso não se consegue avançar para outras demandas da educação. A escola tem que ser um ambiente acolhedor para todos, principalmente para os seus alunos. Como reivindicar uma educação de qualidade se sequer se tem um espaço adequado para que haja uma educação? E eu nem vou entrar no mérito da falta de professores porque isso é um outro problema. O que não se pode é contentar-se com migalhas, não se pode nivelar por baixo. Pedras Altas merece uma educação séria, comprometida com o futuro dos seus jovens, mas para isso todos precisam discutir de forma crítica o que está acontecendo. Contentar-se um cubículo da escola AB é o mesmo que contentar-se com um professor desmotivado, com uma aluno que não progride, com a situação caótica da educação. Eu me recuso a aceitar que se nivele por baixo a educação. Eu me recuso a me contentar com migalhas.

E diante desse caos, tenho de tirar o chapéu para aqueles que conseguem ainda fazer qualquer educação nesta escola. Se não fosse pelo comprometimento destes, nada seria possível ali. Porém, é preciso alertar que, enquanto há pessoas comprometidas fazendo mais que o seu trabalho, há um sistema político que quer exatamente isso, SEM REIVINDICAÇÃO. E a educação continua assim… enquanto o prédio da LMB está lá inacabado e quase sendo destinado a outros interesses políticos.

Agora chega. Vamos para o baile e depois, na segunda, a gente aprende o que é pão e circo.

P.S.: eu não revisei o texto porque estou atrasado para um compromisso, mas queria deixar essa homenagem à escola antes do baile de amanhã. 


Nenhum comentário: